Devido aos 27 anos de guerra que assolou o país, o sistema ferroviário que ligava o litoral ao interior do país ficou destruido pela colocação de minas e pela destruição de pontes ferroviárias.

O sistema ferroviário angolano é composto de três linhas, nomeadamente ferrovias de Luanda, Benguela e Namibe, que atravessam o país de Oeste a Este, com uma cobertura total de cerca de 2,750 km. A rede principal é o transporte ferroviário Benguela, CFB (Caminhos de Ferro de Benguela), com 1.305 quilômetros. Esta foi uma das linhas ferroviárias mais importantes na África Austral, ligando o centro-oeste de Angola à República Democrática do Congo e da Zâmbia e terminando no porto de Lobito.

A segunda linha ferroviária é o Caminho de Ferro do Namibe com 907 quilômetros que liga o Porto do Namibe a Menongue, na
província do Kuando Kubango. Quando totalmente reabilitado, ele irá transportar pessoas e mercadorias entre o porto da cidade de Namibe, ao sul de Angola e para o norte da Namíbia. A reabilitação ferroviária do Namibe está em andamento. O trabalho deverá ser concluído em Agosto de 2007. Uma vez concluída a linha vai transportar dois milhões de passageiros e 15 milhões de toneladas de mercadorias por ano, com até 30 comboios por dia.

A terceira linha ferroviária vai de Luanda para Malanje, conhecida como o Caminho de Ferro de Luanda. Tem 538 km de comprimento e uma vez reconstruída ligará Luanda com as áreas agrícolas de Cassanje e Kwanza e para os campos de diamantes de Lunda Norte e Lunda Sul.

Destinado a aumentar a capacidade da infra-estrutura ferroviária, o projecto Ango-Ferro 2000 é dividido em quatro fases. O projecto inclui a reabilitação de cerca de 3,100 km de caminho de ferro, 8,000 km de extensões, 36 pontes, reabilitação e construção de 100 estações e 150 novas subestações.

O projecto está previsto estender-se à construção da ferrovia Congo, uma nova linha que começará em Luanda passando por Caxito, Uíge, M'Banza Congo, Cabinda e a República do Congo. E
stá a decorrer a mobilização de potenciais apoiadores para o projeto.

Este plano chamado "Ango-Ferro" está em andamento, compreendendo a reabilitação e modernização das linhas existentes, a sua interligação num sistema de rede, construção de novas linhas ea conexão com os países vizinhos em seis pontos.

Assim, teremos a conclusão dos caminhos de ferro de Luanda, numa extensão de cerca de 500 km, acrescentando que o Caminho de Ferro de Moçamedes, compreendendo 900 quilômetros, será concluído em 2010.

Outros trabalhos estão relacionados com a elaboração de estudos e projetos para a construção da linha que ligará o sistema ferroviário do país para a Namíbia, bem como os 1.500 km para a RDC e Zâmbia, através do Caminho de Ferro de Benguela, que terminará em 2011.

Locomotiva

 

NOVOS DESENVOLVIMENTOS

  • Reabilitação Ferroviária (ferrovias Luanda e Benguela)
  • Construção de um novo aeroporto internacional de Luanda.
  • Reabilitação dos faróis e as ajudas de navegação.